quarta-feira, 19 de abril de 2017

hello

Hello baby,

Its Dinara here, I am from Krasnodar, Russia.
The people here, especially the women are much warm or even hot just like predominant climate we have.
Of course the most beautiful girls on our planet are in Russia!!!
Ok, majority of the beautiful girls of our planet, well that should be agreeable I think.

Do you want to find them?
I can tell you how, please join this site where I have enrolled myself and so are thousands of those beauties which we just now mentioned above.
This premium online dating website provides you with anonymity, convenience, and freedom of choice along with a wide range of communication methods.

Don't sit bored in your solitude and waste your time.
Believe in your destiny and join me at this site, come on and click http://superdateh.ru/?userID=B3F44C01FE

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Museu Prudente de Piracicaba oferece oficinas sobre reaproveitamento de madeira

Autor: Rafael Bitencourt MTB 51.477
Fonte: SEMAC
Compondo a programação da 6ª Primavera de Museus, o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes oferece nos dias 25 e 26 de setembro, próximas segunda e terça-feira, às 9h30 e 14h30 em ambos os dias, a oficina artística “Reciclando o Planeta”, que será ministrada por Jacob das Artes. A participação é gratuita.
As oficinas tem como objetivo despertar e promover o reaproveitamento de madeira, transformando e dando vida nova a este recurso natural, criando peças utilitárias ou artísticas. “As oficinas contarão com a transformação de um simples pedaço de madeira, por meio da criatividade e trabalho manual, em um porta-chaves. Posteriormente, o artesanato criado pelos alunos participantes será entregue aos mesmos”, afirma Maria Antonieta Sachs Mendes, diretora do Museu Prudente de Moraes.
As madeiras utilizadas nas oficinas são provenientes de descartes feitos pela sociedade e já estarão previamente cortadas, furadas, lixadas e envernizadas, cabendo ao aluno fazer a montagem e a personalização do porta-chaves.

Árvores fornecem informações sobre o histórico do clima

DA AGÊNCIA USP DE NOTÍCIAS

Por Giovanni Santa Rosa -Editoria Meio Ambiente
Por meio da análise dos anéis de crescimento de árvores é possível reconstruir como os fatores do clima oscilaram na cidade de São Paulo em certos períodos. Essa é a conclusão da pesquisa do biólogo Gustavo Burin Ferreira, do Instituto de Biociências (IB) da USP, que estudou 43 cedros do Instituto Butantan, do Parque da Cantareira e do próprio IB, entre 2007 e 2011, para conhecer mais sobre o passado climático da cidade.
A partir da análise das informações, Ferreira descobriu que o fator que mais se correlaciona com o crescimento das árvores estudadas é a temperatura no final do inverno: quanto maior ela é, menor é o crescimento. “Explicando de uma maneira simples e finalista, é como se a árvore ‘queimasse a largada’ e começasse o processo de crescimento antes da hora”, diz Ferreira.
Para estudar as árvores sem destruí-las, o pesquisador utilizou o trado de incremento, uma espécie de broca oca que retira amostras de madeira. A partir delas, é possível saber as medidas dos aneis de crescimento e confrontá-las com os dados já existentes sobre o clima na cidade. “Depois de remover tendências naturais de crescimento, o que estiver variando é causado por fatores que não estejam relacionados a estas tendências”, explica.
Ferreira afirma que o estudo prova que, apesar de difícil, é possível fazer esse tipo de análise em cidades. “Nas árvores urbanas, são muitos fatores envolvidos, como poluição e podas, entre outros. Isso pode mascarar alguns efeitos, além de abrir um grande leque de possibilidades. Mesmo assim, ainda é possível obter resultados.” Outro obstáculo encontrado na pesquisa foi a falta de dados sobre o clima da cidade, principalmente antes da década de 1960. A dissertação de mestrado Análise dendroclimatológica do cedro (Cedrela fissilis L. – Meliaceae) para reconstrução do cenário ambiental recente da cidade de São Paulo, SP, foi orientada pelo professor Gregório Ceccantini e apresentada em 2012.
Anéis de crescimento fornecem dados sobre temperatura e precipitação, entre outros

Mapeamento em curso pelo IPT orientará investimentos para prevenção e controle de erosões e inundações em SP



Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE)

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) está investindo R$ 1,35 milhão no cadastramento de pontos de erosão e de inundações no Estado de São Paulo. O trabalho é executado pelo Centro de Tecnologias Ambientais e Energéticas do Instituto de Pesquisas Tecnológicas(IPT) e deverá ser concluído até dezembro deste ano.
Boçoroca causada pelo escoamento de águas pluviais na região de Piracicaba (SP)

A fase de mapeamento de pontos de erosão e de inundação em áreas urbanas já foi realizada a partir de imagens de satélite e de levantamentos pelo IPT, na década passada. No entanto, as regiões do Estado mais susceptíveis a inundações e processos erosivos de grande porte - conhecidas como boçorocas – tornaram-se objeto de um levantamento mais detalhado, com equipes se deslocando por terra para a coleta de informações.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pesquisa sobre anêmonas de tubo sugere que América do Sul teve “mar interno”


Estudo sobre processo evolutivo de diversificação de organismos marinhos reforça teoria geológica de que há 10 milhões de anos existia uma língua de oceano que cortava o continente desde o Caribe até o Uruguai, cobrindo toda a bacia Amazônica (ilustração: Science)

Por Fábio de Castro
Agência FAPESP 
Depois de estudar por quatro anos o processo evolutivo de diversificação de um grupo de anêmonas de tubo do Atlântico Sul, um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) obteve um resultado inesperado: o estudo biológico acabou contribuindo para reforçar a teoria geológica de que, há cerca de 10 milhões de anos, a bacia Amazônica era ocupada por um mar interno que ligava o Caribe ao Uruguai.
O estudo, publicado na revista PLoS One, teve o objetivo inicial de identificar, por meio de análises genéticas e moleculares, em que momento da evolução ocorreu a diferenciação entre duas espécies de anêmonas de tubo do gênero Isarachnanthus, do grupo Ceriantharia presentes no oceano Atlântico.
Os resultados mostraram, no entanto, que o cenário mais provável para a diferenciação das duas espécies – e de uma terceira existente no oceano Pacífico – seria coerente com a chamada teoria da “rota marinha da Amazônia no Mioceno médio”.
Segundo essa teoria, um passagem marinha ligava o Caribe à região atual da costa do Uruguai, entre 9 milhões e 11 milhões de anos atrás, cortando ao meio o continente. A maior parte do Brasil atual, nesse período conhecido como Mioceno médio, teria sido uma ilha separada do resto da América do Sul por uma língua de oceano.

Agências da ONU querem ação coordenada para combater alta de alimentos


Em comunicado conjunto, FAO, Ifad e PMA disseram que países devem evitar pânico na hora da compra e não impor restrições às exportações.
Medidas podem ajudar a evitar que dezenas de milhões de pessoas sofram com uma nova crise. / Foto: Banco Mundial
Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.
As Nações Unidas reagiram à alta no preço dos alimentos pedindo à comunidade internacional que tome medidas coordenadas para combater o problema.
Segundo a ONU, o mundo está registrando a terceira alta de preços em menos de cinco anos.
Medidas Rápidas
Em comunicado conjunto, a Organização para Agricultura e Alimentação, FAO, o Programa Mundial de Alimentos, PMA, e o Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola, Ifad, sugeriram medidas rápidas para evitar uma crise alimentar, como a que ocorreu em 2008/09.
A alta do preços foi provocada, desta vez, pela seca nos Estados Unidos, elevando o valor cobrado pelo milho. Além disso há secas e cheias em outras partes do mundo, o que gerou um aumento de preços também do trigo e da soja.

Seminário debate Mineração


do IBASE
Acompanhando o ritmo que parece levar a um novo marco legal da mineração no Brasil, Ibase, Justiça nos Trilhos,Inesc, IEB e FASE resolveram abrir para a sociedade essa discussão, que tem ocorrido somente dentro do Governo. Assim foi criado o “Seminário sobre o novo marco legal da mineração”, que acontecerá em Brasília nos dias 10, 11 e 12 de setembro.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara convida para conhecer arqueologia


Neste mês de setembro, o MAPA – Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, continua com a exposição “Arqueologia vai à escola”, realizada em parceria com o GEA (Grupo de Estudos Arqueológicos) da Fundação Araporã. A exposição tem entrada gratuita.

Prefeitura Municipal de Araraquara

O projeto tem como objetivo despertar o interesse dos alunos do Ensino Fundamental pela Arqueologia e pela experiência do fazer científico. Um de seus objetivos é mostrar que a Arqueologia é uma ciência com teoria, métodos e técnicas próprias e que permite relacionar diversos conhecimentos, proporcionando realizar um trabalho multidisciplinar dentro e fora da sala de aula - e não apenas entender a Arqueologia como um apêndice da História e da Antropologia.

A arqueologia é apresentada como uma ciência que ajuda a compreender a história, baseada na análise da cultura material produzida pelos seres humanos. A ideia é que as ações educacionais do projeto auxiliem na compreensão dos conteúdos escolares, já que colocam em prática o conhecimento aprendido em sala de aula.

Encontro dos povos do Cerrado reivindicará políticas públicas para o manejo sustentável do bioma


 Autor: divulgação/internet

do Fórum Carajás
Entre os dias 12 e 16 de setembro a Rede Cerrado, em parceria com a Fundação Banco do Brasil, realizará o VII Encontro e Feira dos Povos do Cerrado, no Memorial dos Povos Indígenas em Brasília/DF. Comunidades e organizações da sociedade civil dos 14 estados do Cerrado Brasileiro estarão reunidas para também celebrar o Dia Nacional do Cerrado e os 20 anos da organização.
Na programação do evento estão previstas palestras, mesas redondas, oficinas, audiência pública e outras atividades, além de uma feira de produtos típicos da região e uma intensa programação cultural. Ministros foram convidados para abertura do encontro, e haverá uma passeata pela Esplanada dos Ministérios, o Grito do Cerrado, que será encerrado pela tradicional Corrida de Toras entre etnias indígenas, alertando a sociedade da destruição e importância do bioma cerrado. Ao final será entregue ao governo uma carta política com as denúncias e reivindicações feitas pelas organizações do Cerrado, em busca de mais políticas públicas para a região.

Pesquisadora da UnB substitui elementos químicos usados no tratamento de água pela quitosana, que é natural e menos poluente

Mariana Costa/UnB Agência


Aluna da UnB recebe prêmio nacional de Engenharia
Pesquisa de Bruna Capelete substitui elementos químicos usados no tratamento de água pela quitosana, que é natural e menos poluente

Texto: UnB Agência Foto Mariana Costa/UnB Agência

Diogo Lopes de Oliveira - Da Secretaria de Comunicação da UnB

Bruna Cesca Capelete, doutoranda do Programa de Tecnologia Ambiental e Recursos da UnB, é uma das vencedoras do Prêmio Brasil de Engenharia. Sua pesquisa sobre substituição de elementos químicos usados no tratamento de água foi eleita por 25 pesquisadores de universidades do Brasil inteiro como a melhor na categoria “Saneamento e Recursos Hídricos”. O prêmio é uma iniciativa do Sindicato dos Engenheiros do Distrito Federal (Senge-DF) e do Instituto Atenas de Pesquisa e Desenvolvimento. “Esse foi o meu primeiro prêmio. Ele serve como um reconhecimento e um incentivo para continuar com as minhas pesquisas”, disse Bruna.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Cerrado em estado de alerta


Paulo de Araújo/MMA
O bioma enfrenta a sua maior ameaça: o homem
Setembro será dedicado à savana mais rica do planeta, que se encontra em grave processo de degradação

Luciene de Assis/MMA

O mês de setembro será todo dedicado à exaltação do cerrado brasileiro, a savana mais rica do planeta. A abertura oficial das comemorações acontece neste sábado (01/09), às 15h, com exposição de fotografias do bioma no Espaço Casa do Visitante do Jardim Botânico de Brasília, parceiro do Ministério do Meio Ambiente na organização deste evento. 

De 12 a 16 de setembro acontece o Encontro dos Povos do Cerrado, no Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília, com palestras, exposições e apresentação de filmes e vídeos. O objetivo desses eventos é mobilizar a sociedade e os povos do cerrado para o estímulo de ações voltadas à conservação e ao uso sustentável dos recursos naturais do bioma. É com esta visão que se realizará o VII Encontro e Feira dos Povos do Cerrado.

CONSCIENTIZAÇÃO

A previsão dos organizadores é que o evento reúna cerca de mil representantes de comunidades e organizações da sociedade civil dos 14 estados abrangidos pelo cerrado. O evento terá uma extensa programação com palestras, mesas redondas, oficinas, audiência pública e outras atividades sobre temas relativos à conservação do bioma e à defesa de seus povos, além da feira de produtos sustentáveis desse bioma e de uma intensa programação cultural. 

UFSC sedia Seminário de Pesquisa em Mídia-Educação


Notícias da UFSC

A UFSC sediará nos dias 4, 10 e 11 de setembro o IV Seminário de Pesquisa em Mídia-Educação  e o I Seminário UCABASC, nos auditórios do Centro de Ciências da Educação (CED) e Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC.  O evento é promovido pelo Núcleo Infância, Comunicação, Cultura e Arte (NICA) e UCA BASC tendo como tema Cultura digital e novos paradigmas educativos: laptop nas escolas, múltiplas linguagens e letramentos.

Política Nacional de Resíduos Sólidos:Desafios e oportunidades para as Empresas


Lançada nesta quarta-feira (29/8), publicação traz um panorama da legislação referente ao tema e traça um resumo histórico que ajuda a compreender como chegamos a essa política e suas implicações
Fonte: Instituto Ethos/Rede Nossa São Paulo
O Instituto Ethos e a Rede Nossa São Paulo, no âmbito do Grupo de Trabalho de Resíduos Sólidos, lançaram nesta quarta-feira (29/8) a publicação Política Nacional de Resíduos Sólidos: Desafios e Oportunidades para as Empresas. A divulgação do material ocorreu durante o seminário “Resíduos Sólidos e a Cidade: Boas Práticas e Desafios”, realizado na sede da Fecomércio, em São Paulo (SP).

O evento teve por finalidade apresentar as boas práticas que empresas e governos já realizam, bem como discutir os desafios que ainda precisam ser enfrentados pela gestão pública e pela iniciativa privada para efetivar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

A publicação busca contribuir para ampliar o diálogo com as empresas sobre a implantação da PNRS e incentivar novas reflexões acerca do tema.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

PROJETO RECICLA GIGÓIA SERÁ LANÇADO COM APOIO DO INEA

             Ilha da Gigóia  (crédito: Júlio Dias)Rio Film Commission

do INEA

A Ilha da Gigóia localizada no Complexo Lagunar da Baixada de Jacarepaguá receberá neste sábado (01/09), de 10h às 15h, o Projeto Recicla Gigóia, criado pelo Instituto Terrazul e que tem o apoio do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). O projeto consiste na implantação da coleta seletiva nas ilhas localizadas na Lagoa da Tijuca e a proposta de envolver moradores, representantes de instituições e comerciantes no trabalho. O objetivo é minimizar os impactos da   disposição inadequada de resíduos na lagoa e preservar a qualidade das suas águas e de toda bacia hidrográfica da região.

Durante o evento, será realizada exposição de produtos feitos com materiais recicláveis pelos artesãos da região, peças de teatro do grupo “Porta Aberta” da Comlurb, dança indiana, música, show de mágica e uma Ecogincana. Crianças e seus pais participarão da divertida competição com direito a corrida de saco, jogo de basquete, recital de poesia e coleta de materiais recicláveis.

Programa de empresa petrolífera oferece cursos para pescadores em Caraguá


Portal Caraguatatuba.sp.gov.br
Os pescadores artesanais de Caraguá podem se inscrever gratuitamente nos cursos da Plataforma Educativa Repsol Sinopec. O programa de responsabilidade social da empresa Repsol Sinopec Brasil consiste em uma sala de aula itinerante que leva conhecimento, qualificação e aperfeiçoamento profissional para as comunidades pesqueiras do estado de São Paulo.  
Pela terceira vez em Caraguá, a Plataforma Educativa oferece até a segunda quinzena de setembro, no Entreposto do Camaroeiro, os cursos de Artesanato, Manutenção Preventiva de Motores (movidos a diesel), Gestão de Resíduos no Mar, Pescador Profissional (POP) e Marinheiro Auxiliar de Convés (MAC).
Nesta sexta-feira (31), a partir das 9h, o espaço terá aula de artesanato. Para os interessados em conhecer a parte mecânica das embarcações, o projeto conta com o curso de Manutenção Preventiva de Motores a Diesel, na próxima quinta-feira (6), no período da manhã.
O programa promove a capacitação Gestão de Resíduos no Mar no dia 13 de setembro. O objetivo é orientar os pescadores sobre a destinação correta do lixo produzido nos barcos.

Exposição “O Mundo das Abelhas” em Ribeirão Preto finaliza trabalho na Emef Faustino Jarruche



Ainda no segundo semestre, exposição itinerante será instalada em mais uma escola da rede municipal
 

 

Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto (Coordenadoria de comunicação social)

A exposição “O Mundo das Abelhas”, um dos projetos desenvolvidos pelo PIEA (Programa Integrado de Educação Ambiental), teve sua temporada de instalação na Emef Faustino Jarruche, no Jardim Marchesi, encerrada na última semana. A exposição seguirá agora para o Cemei João Gilberto Sampaio, a partir do dia 3 de setembro, e a partir do dia 18 segue para o Cemei Virgílio Salata.

O projeto “O Mundo das Abelhas” foi iniciado em agosto de 2011 e compreende uma exposição itinerante, composta por cartazes, fotos e material audiovisual que retratam a vida de uma colmeia, a produção de mel e outros subprodutos apícolas. O responsável pela exposição é o apicultor Wolfgang Denecke, que leva o projeto até as escolas municipais e trabalha o tema junto aos alunos, incorporando o assunto aos projetos pedagógicos das unidades escolares sob forma de atividades complementares.

EVOLUÇÃO DAS FERRAMENTAS É TEMA DE EXPOSIÇÃO NO MUSEU MÁRIO TOLENTINO EM SÃO CARLOS


Prefeitura Municipal de São Carlos

O Museu da Ciência “Profº Mário Tolentino” recebe uma exposição que retrata a evolução das ferramentas utilizadas pelo homem, da caça aos trabalhos manuais e industriais. Aproximadamente 500 peças, a maioria delas pertencentes ao pesquisador da Embrapa, Luiz Alberto Colnado, fazem parte da exposição, que recebeu na abertura, ocorrida na tarde de terça-feira (28), os alunos do 5º ano da Emeb Carmine Botta, localizada no Boa Vista.

A secretária de Educação, Lourdes Moraes e o coordenador do Museu, Paulo Roberto Milanez, recepcionaram o colecionador, que explicou a evolução das ferramentas utilizadas, da era da Pedra Lascada até o ano de 1.850 do século 19.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Combinar fonte de energia é mais em conta para aquecer água


AGÊNCIA USP DE NOTÍCIAS (EDITORIA TECNOLOGIA)
Por Júlio Bernardes
Utilizar a eletricidade com o gás natural e os painéis solares é a opção combinada mais em conta a longo prazo para o aquecimento de água em residências. A conclusão é de pesquisa do engenheiro elétrico José Carlos Saraiva, realizada no Programa de Pós-Graduação em Energia da USP. O estudo também ressalta que instalar durante a obra a infraestrutura necessária para o sistema de aquecimento, como tubulações de água quente, fria, gás e eletricidade, também ajuda a reduzir os custos da utilização de fontes alternativas de energia, mesmo que não sejam adotadas de imediato.
Infraestrutura individualizada otimiza custos de instalação de painel solar
O engenheiro verificou a infraestrutura de três edifícios residenciais construídos pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) do Estado de São Paulo, nos bairros da Bela Vista (Centro de São Paulo), Belenzinho (Zona Leste de São Paulo) e no município de Mogi das Cruzes (Grande São Paulo). Os apartamentos são destinados à famílias com renda mensal de um a dez salários mínimos. “No conjunto Belém L, que tem 38 unidades habitacionais, é utilizada a energia solar juntamente com a eletricidade”, conta Saraiva. “Como as tubulações são individualizadas, cada morador tem seu próprio painel solar individual, o que evita o pagamento de despesas por todos os condôminos e pode estimular os interessados na utilização combinada dos sistemas de aquecimento.”

Pesquisador do IPT participa de evento que discute instituição da Política Nacional de Proteção e Defesa Civil


O evento é promovido pela Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental

As inscrições ainda estão abertas e o evento é gratuito.Não perca!

do IPT
As mudanças dos paradigmas sobre prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação em casos de desastres naturais a partir da promulgação da Lei Federal 12.608 estarão em discussão na próxima quinta-feira, 30 de agosto, a partir das 14 horas na Assembleia Legislativa de São Paulo. A lei gestada a partir dos acidentes na região serrana do Rio de Janeiro, no início de 2011, institui a Política, o Sistema e o Conselho Nacionais de Proteção e Defesa Civil, autorizando a criação do sistema de informações e monitoramento de desastres, além de alterar dispositivos do Estatuto das Cidades, Lei Lehman e Lei de transferências de recursos da União, entre outros.

O geólogo e pesquisador do Laboratório de Riscos Ambientais do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Eduardo Soares de Macedo, fará uma apresentação no evento sobre os avanços promovidos pela lei nos trabalhos da Defesa Civil.
Eduardo Soares de Macedo:

União, estados e municípios

deverão manter mapeamentos

atualizados das áreas de risco
 

Exposição na Reitoria da UNESP relaciona meio ambiente e arte


Obra El sofá de mi abuela, de Kenneth Kemble, Argentina, 1992
Artistas de 13 países valorizam cuidados com a naturezaPortal UNESP
Preservar a natureza é hoje uma preocupação mundial. As imagens da exposição Ecoarte, expostas a partir de 30 de agosto no Hall da Reitoria da Unesp, em São Paulo, SP, trabalham justamente com temas como aquecimento global, desenvolvimento social e sustentabilidade.
A mostra fica aberta ao público até 14 de setembro. Entre os artistas brasileiros, estão nomes consagrados como Daniel Senise, Gonçalo Ivo, Flavio Shiró, Antônio Herique Amaral,  Carlos Vegara, Arcângelo Ianelli, Siron Franco, Tomie Ohtake e Beatriz Milhazes.
As imagens enfocam questões como água potável, abrigo e habitat para uma diversidade biológica que é fonte de alimentos e medicamentos.
O desafio dos artistas é alertar, com recursos plásticos e visuais, que a exploração desmedida, sem o devido manejo dos recursos naturais, provoca impactos negativos, como perda de biodiversidade, mudanças climáticas e extinção de meios de subsistência da humanidade.

Agência Nacional de Águas e Governo de Pernambuco assinam acordo para melhorar abastecimento em escolas


chamada
Mais de 6,6 mil estudantes de 29 escolas de 15 municípios do Semiárido serão beneficiados no primeiro momento. Araripina, Arcoverde e Cabrobó estão na lista.
da ANA 
A Agência Nacional de Águas (ANA) e a Secretaria da Criança e da Juventude do Estado de Pernambuco (SCJ) assinaram um acordo de cooperação técnica para melhorar as condições das escolas pernambucanas no que diz respeito à segurança do abastecimento de água em quantidade e qualidade, oferecendo condições sanitárias para manutenção da saúde e bem-estar dos alunos e professores. Mais de 6,6 mil estudantes de 29 escolas de 15 municípios serão beneficiados, entre eles: Araripina, Arcoverde, Cabrobó e Manari (município com menor IDH do Brasil). O acordo foi publicado no Diário Oficial da União de 22 de agosto.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

CETESB publica a primeira edição de relatório de emissões por veículos

O Relatório que será atualizado anualmente já se encontra disponível neste site


A CETESB passa a publicar, anualmente, o Relatório de Emissões Veiculares do Estado de São Paulo com dados sobre a maior frota do país e as estimativas de emissão de gases poluentes e de efeito estufa originados na circulação de aproximadamente 13,6 milhões de veículos, sendo 9 milhões de automóveis, 1,6 milhão de comerciais leves, 500 mil ônibus e caminhões e 2,5 milhões de motocicletas.

A primeira edição, disponível no link http://www.cetesb.sp.gov.br/ar/emissao-veicular/48-relatorios-e-publicacoes, traz dados relativos a 2011, além de informações geradas pela CETESB, como agente técnico do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores – PROCONVE e como a instituição que detém um amplo conhecimento em desenvolvimento de ferramentas e políticas para a redução do impacto ambiental gerado pela circulação de veículos. O relatório faz ainda uma avaliação da situação das ações previstas no Plano de Controle de Poluição Veicular – PCPV 2011-2013, como a lei que institui a inspeção veicular em todo o Estado encontra-se em tramitação na Assembleia Legislativa.

Organizações sociais querem transporte público grátis no Dia Mundial Sem Carro

 
REDE NOSSA SÃO PAULO
Documento entregue ao prefeito de São Paulo e de outras cidades vizinhas solicita a não cobrança de tarifa em ônibus, metrô, trem e trólebus durante todo o dia 22 de setembro
Airton Goes 
A Rede Nossa São Paulo e outras 33 organizações da sociedade civil entregaram ofício na Prefeitura de São Paulo solicitando que o sistema público de transporte coletivo não cobre tarifa dos passageiros durante todo o dia 22 de setembro deste ano. Na data, que cairá num sábado, comemora-se o Dia Mundial Sem Carro. 
De acordo com as entidades que subscrevem o documento, o acesso a ônibus, metrô, trens e trólebus grátis, em data tão simbólica, permitirá ao cidadão uma experiência fundamental de valorização da mobilidade inclusiva, democrática e de menor impacto ambiental, além de atender à Política Nacional de Mobilidade Urbana (estabelecida pela Lei 12.587/2012), sancionada no início do ano, que prioriza o transporte público coletivo e não motorizado.

Relatora da ONU diz que agricultura gasta maioria da água com supérfluos


Em entrevista à Rádio ONU, Catarina de Albuquerque afirmou que 70% da água utilizada são para produzir "alimentos de luxo", consumidos em países ocidentais. 
Água pode ser melhor usada na agricultura. (Foto: Banco Mundial)
Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.
A relatora especial das Nações Unidas para o Direito Humano à Água e ao Saneamento Básico, Catarina de Albuquerque, afirmou que o mundo precisa refletir na forma como tem gastado água.
Segundo a relatora, 70% do recurso usado na agricultura são empregados na produção de alimentos, que ela considera supérfluos.
Brasil e Argentina
Nesta entrevista à Rádio ONU, de Lisboa, e antes de embarcar para a Semana Mundial da Água, que está ocorrendo na Suécia, Catarina de Albuquerque falou sobre o uso da água na agricultura, e sobre os bens consumidos por países desenvolvidos.
"A água que está a ser utilizada para a agricultura não é toda para realizar o direito humano à alimentação. Aliás, 70% da água utilizada na agricultura é utilizada para produzir alimentos de luxo. Alimentos desnecessários, supérfluos para a realização ao direito à alimentação.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Brasil e Estados Unidos debatem as descobertas mais recentes sobre vetores de doenças tropicais


Pesquisadores do IOC e da Fiocruz participaram do Simpósio que incentivou a aproximação dos dois países em torno da temática

Fonte (Comunicação / Instituto Oswaldo Cruz)
Isadora Marinho

Numerosos e adaptáveis, quase sempre passam despercebidos. Mas os insetos transmissores de doenças já foram responsáveis por epidemias de grande proporção, como a da peste bubônica e a da febre amarela. Hoje, são as persistentes endemias tropicais – como dengue, malária e doença de Chagas – que impactam a economia e a qualidade de vida nos países em desenvolvimento, desafiando especialistas em controle de vetores de todo o mundo. Nos dias 9 e 10 de agosto, um grupo multidisciplinar de ponta do Brasil e dos Estados Unidos se reuniu na cidade norte-americana de Hamilton, no Estado de Montana, para debater as descobertas mais recentes na área e trocar experiências. O simpósio USA-Brazil Vector Symposium, organizado pelo National Institute of Allergy and Infectious Diseases (NIAID/NIH), vinculado ao National Institute of Health (NIH), marcou uma aproximação direta dos dois países em torno da temática. A iniciativa contou com a participação de três pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).
Divulgação NIH
Grupo que participou do Simpósio, restrito a pesquisadores dos dois países

Projeto faz levantamento da biodiversidade de peixes da costa fluminense

FAPERJ

Divulgação
Coleta de peixes é o primeiro passo para avaliar as espécies
encontradas nas praias arenosas do estado do Rio de Janeiro 

Débora Mota

Conhecer a biodiversidade é o primeiro passo para a formulação de políticas públicas de preservação ambiental. Partindo dessa premissa, um projeto coordenado pelo Cientista do Nosso Estado da FAPERJ Francisco Gerson Araújo, do Laboratório de Ecologia de Peixes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), propõe um levantamento dos peixes e de seus habitats– locais onde vivem – nas praias arenosas de todo o estado do Rio de Janeiro. O estudo foi contemplado pela Fundação com o edital de Apoio ao Estudo da Biodiversidade – Biota.

De acordo com o professor, as praias arenosas são verdadeiros berçários dos peixes. "É comum encontrarmos peixes jovens perto das praias, já que a reprodução da maioria dos peixes que vivem nas áreas costeiras rasas costuma ocorrer em áreas mais profundas da plataforma continental, isto é, a cerca de 50 a 200 de profundidade na zona costeira. Depois que nascem, os ovos e as larvas são trazidos pelas correntes e marés para a zona costeira rasa, onde passam boa parte da fase inicial da vida”, explica Araújo. Por isso, a ocupação desordenada das praias é tão prejudicial. “A poluição e outras formas de agressão às praias pela ação humana destrói os locais de criação de peixes. Em consequência, populações adultas tendem a desaparecer”, completa.

Pesquisa relata aumento da poluição sonora e descaso com a sonoridade


IMAGEM PORTAL SÃO FRANCISCODoutorado da Unesp relaciona ciências, tecnologia e cultura
da UNESP/João Moretti, da Faculdade de Ciências/Bauru

A preocupação com a educação sonora das pessoas tem se revestido de grande importância nos últimos tempos dado o crescente aumento da poluição sonora e do descaso das pessoas com o cuidar das paisagens sonoras e do ambiente acústico. Essa é a conclusão de doutorado defendido no programa Educação para a Ciência da Faculdade de Ciências da Unesp, Câmpus de Bauru.
A tese, intitulada Educação Sonora:encontro entre ciências , tecnologia e cultura, foi escrita por Francisco Nairon Monteiro Junior. Para ele, o trabalho passou pelo desenvolvimento de possibilidades para a educação sonora como meio de desenvolver nos estudantes dos diversos níveis de ensino uma consciência ecológica acústica.
“Realizamos diversas atividades de ensino e pesquisa, dentre as quais os exercícios de sensibilização da audição e os teatros sonoros, os quais se mostraram bastante promissores, no desenvolvimento de tais competências, bem como agregaram ludicidade no lidar com o tema”, explica.

Produção de Etanol fica mais sustentável com ajuda da tecnologia

Revista ecoenergia*
Após o processo de produção do etanol, há uma sobra de leveduras que pode ser utilizada na complementação à ração animal. Mas o uso do antibiótico no processo faz com que esse excedente seja rejeitado pelo mercado. Eduardo Donato, diretor de negócios da empresa Beraca, especialista em desenvolver tecnologias no sentido da sustentabilidade, conta que a empresa investiu em uma nova tecnologia, cuja matéria-prima é o dióxido de cloro. Sua principal função é substituir o uso de antibiótico no controle do processo de fermentação.
O mercado está passando por uma transformação importante. Há alguns anos, não ouvíamos falar em tratamento de água nas torres de resfriamento nas usinas, o líquido era despejado nos rios sem nenhuma preocupação com o meio ambiente, o que raramente acontece atualmente, compara o executivo.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

II ENCONTRO METROPOLITANO DE AGROECOLOGIA


da Aspta.org
O avanço da construção da agroecologia na regão Metropolitana do Rio de Janeiro já é uma realidade. Inúmeras são as experiências agroecológicas protagonizadas por famílias agricultoras (rurais, urbanas e periurbanas), pescadoras ou descendentes de quilombolas. É com o objetivo de fazer convergir esses processos sociais e construir um território agroecológico como uma unidade geográfica e estratégica de lutas e sobretudo de resistências que será realizado, nos dias 31 de agosto e 1 e 2 de setembro o II Encontro Metropolitano de Agroecologia. Espera-se 300 participantes para Encontro que acontecerá na Igreja de Santo Antônio em Rio do Ouro, Distrito Agrícola de Magé (RJ).

Na abertura do evento, os agricultores, pescadores, técnicos, estudantes, grupos e entidades do campo da Agroecologia participarão da construção do Mapa dos conflitos e resistências na Região Metropolitana. O aprofundamento tanto dos conflitos provocados pelos diferentes projetos de desenvolvimento em curso na região quanto das formas de organização das populações frente aos desafios será o passo fundamental para materializar um espaço comum e de referência identitária.

Encontro Unitario lança declaração histórica em defesa da Reforma Agrária




Leia a declaraçao final do Encontro Nacional Unitario dos Trabalhadores e Trabalhadoras e Povos do Campo, das Aguas e das Florestas.


Por Terra, Território e Dignidade!

do MST
Após séculos de opressão e resistência, “as massas camponesas oprimidas e exploradas”, numa demonstração de capacidade de articulação, unidade política e construção de uma proposta nacional, se reuniram no “I Congresso Nacional dos Lavradores e Trabalhadores Agrícolas sobre o caráter da reforma agrária”, no ano de 1961, em Belo Horizonte. Já nesse I Congresso os povos do campo, assumindo um papel de sujeitos políticos, apontavam a centralidade da terra como espaço de vida, de produção e identidade sociocultural.
Essa unidade e força política levaram o governo de João Goulart a incorporar a reforma agrária como parte de suas reformas de base, contrariando os interesses das elites e transformando-se num dos elementos que levou ao golpe de 1964. Os governos golpistas perseguiram, torturaram, aprisionaram e assassinaram lideranças, mas não destruíram o sonho, nem as lutas camponesas por um pedaço de chão.

Semana Mundial da Água vai antecipar comemorações do Ano Internacional


Evento, que começa no próximo dia 26 na Suécia, pretende aumentar a conscientização para a importância do recurso; tema deste ano é “Segurança Hídrica e Alimentar”.
Semana Mundial da Água 2012 (Foto: Unep)
Anelise Borges, da Rádio ONU em Paris. 
Entre os dias 26 e 31 de agosto o Instituto Internacional da Água em Estocolmo, na Suécia, vai sediar a semana Mundial da Água.
O evento promete ser um prelúdio do Ano Internacional da Cooperação da Água, que será marcado em  2013.
Experiências e Práticas
Todos os anos, desde 1991, a Semana Mundial da Água oferece uma oportunidade única para a troca de opiniões, experiências e práticas entre as comunidades científica, empresarial, política e cívica.
Através de análises sobre a água e os desafios relacionados ao seu impacto na saúde, no clima e na economia, o objetivo do evento é fornecer respostas concretas em escala global que sejam sintonizadas a particularidades locais.

ReciclaRio - 4º Seminário

ReciclaRio


Em 2012, com uma nova denominação e identidade visual, o Seminário Arerj/Sindieco e IMA-UFRJ passa a adotar o nome de ReciclaRIO. Não abdica de sua contemporaneidade, abordando como tema central as INOVAÇÕES E PERSPECTIVAS APÓS A RIO+20. Dessa forma, trazendo ao debate técnico e acadêmico o evento que pautou o cenário ambiental mundialmente, apresentando desde a PESQUISA E PRODUÇÃO ACADÊMICA EM TEMPOS DE SUSTENTABILIDADE até os DESAFIOS DO PODER PÚBLICO PARA IMPLEMENTAÇÃO DA PNRS. Tudo isso envolvendo inovações e perspectivas para a economia verde e a sustentabilidade, após o evento que marcou os vinte anos da Eco92.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Mais chuvas intensas em São Paulo e seca nos EUA corroboram conclusões do IPCC


Avaliação foi feita por pesquisadores a partir das conclusões do mais recente relatório publicado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (Agência Brasil)
Por Elton Alisson/Agência FAPESP
Apesar de necessitar de mais estudos para reiterar evidências e esclarecer algumas incertezas sobre os níveis de confiança de algumas previsões, as conclusões do Relatório Especial sobre Gestão dos Riscos de Eventos Climáticos e Desastres (SREX, na sigla em inglês) – elaborado e recentemente divulgado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) – podem ser corroboradas pela maior ocorrência de eventos climáticos extremos em diferentes regiões do mundo, como a atual seca nos Estados Unidos, e pelo aumento de gastos realizados nos últimos anos por países como o Brasil para sanar os prejuízos causados por enchentes e deslizamentos provocados por chuvas intensas.
A avaliação foi feita por pesquisadores participantes do workshop “Gestão dos riscos dos extremos climáticos e desastres na América do Sul – O que podemos aprender com o Relatório Especial do IPCC sobre os extremos?”, realizado nos dias 16 e 17 de agosto, em São Paulo.

Projeto prevê faixa exclusiva para estimular ‘carona solidária’



 
Fonte: Portal da Câmara Municipal de São Paulo/Rede Nossa São Paulo
Carros com três ou mais pessoas podem ter uma faixa exclusiva em algumas vias da cidade. Essa é a proposta do Projeto de Lei 149/2008, do vereador Aurélio Nomura (PSDB), que teve seu parecer aprovado nesta quarta-feira (15/8) na Comissão de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia, da Câmara Municipal de São Paulo.

Com o PL, Nomura pretende “estimular a carona solidária na cidade”. “São cerca de sete milhões de veículos, 90% circulando apenas com uma pessoa, no máximo duas”, justificou o vereador, afirmando que, além de melhorar a fluidez do trânsito, o projeto beneficia quem deixa o carro em casa. “Vejo o exemplo de estudantes que saem diariamente de São Paulo em direção a Bragança e Campinas. Muitos usam a carona até por questões econômicas”, argumentou Nomura.