sábado, 3 de julho de 2010

MONITORAMENTO DAS FLORESTAS TROPICAIS

INPE inaugura na Amazônia centro para difusão internacional de tecnologias de monitoramento
http://4.bp.blogspot.com/_-WNK5Fu8F1c/SJs42G3yvtI/AAAAAAAAAM8/RgwQqO-RVck/s320/historia_desmatamento_satelites.jpg

Em seu Centro Regional da Amazônia (CRA), em Belém, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) capacitará técnicos de vários países para o monitoramento por satélite de florestas tropicais. Para isso, nesta quinta-feira (1º/7), durante a cerimônia de inauguração da sede própria do CRA, o INPE formalizou três acordos com organismos de cooperação internacional e instituições nacionais e estrangeiras. 

Com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) foi assinado acordo para a realização de nove cursos que serão ministrados em inglês, francês e espanhol ao longo de três
anos – entre 2010 e 2013.

Já a carta de entendimento firmada entre o INPE e a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) permitirá a capacitação de equipes técnicas dos países da América do Sul por onde se estende a floresta, tornando possível que a cobertura florestal da região possa ser totalmente monitorada, a exemplo do trabalho feito pelo INPE na Amazônia Legal Brasileira há mais de 20 anos.

E a parceria com o Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento (IRD), da França, resultará na distribuição de imagens de satélite para pesquisas nas regiões Norte e Nordeste do Brasil por meio do Programa SEAS Brasil, lançado oficialmente durante a cerimônia em Belém.

Conduzida pelo diretor-geral do INPE, Gilberto Câmara, que assinou os acordos com Katsuhiko Haga, representante-chefe da JICA, e embaixador Mauricio Dorfler, da OTCA, a cerimônia de inauguração contou com a presença do secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Pará, Maurílio de Abreu Monteiro, entre outras autoridades regionais, representantes das instituições do Japão e da França, gestores e cientistas do INPE e de órgãos técnico-científicos da Amazônia.

"A inauguração deste prédio traduz o desejo do INPE de contribuir com o desenvolvimento sustentável, não somente da Amazônia, mas de toda região tropical", concluiu Cláudio Almeida, do CRA/INPE.
Monitoramento global
O INPE está firmando parcerias para oferecer sua experiência de mais de duas décadas no monitoramento da Amazônia, assegurando a transferência das tecnologias para processamento das imagens e manipulação de grandes bancos de dados, a todos os países interessados em implementar sistemas de monitoramento de alteração da cobertura florestal.

Os cursos de capacitação serão realizados no CRA/INPE, em Belém, que assim se tornará um centro internacional de difusão de tecnologia de monitoramento por satélite de florestas tropicais. Os técnicos estrangeiros aprenderão a utilizar o TerraAmazon, sistema desenvolvido pelo INPE para seus programas de monitoramento e que estará disponível gratuitamente.

Baseado em imagens de satélites, o monitoramento do desmatamento na Amazônia feito pelo INPE é reconhecido internacionalmente por sua excelência e pioneirismo. Com 22 anos de história, o PRODES é considerado o maior programa de acompanhamento de florestas do mundo, por cobrir 4 milhões de Km² todos os anos. O resultado do PRODES revela a taxa anual do desmatamento por corte raso na Amazônia brasileira e tem orientado a formulação de políticas públicas para a região.

Desde 2004, o INPE também opera o sistema DETER - Detecção de Desmatamento em Tempo Real, voltado para orientar a fiscalização por identificar corte raso e degradação florestal com mais agilidade. Em 2008, o aumento de áreas degradadas indicado pelo DETER motivou a criação do DEGRAD. Toda esta tecnologia desenvolvida no Brasil está acessível para o monitoramento global de florestas tropicais, a partir do CRA/INPE.
INPE Amazônia
O Centro Regional da Amazônia do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CRA/INPE) iniciou suas atividades em janeiro de 2009, em Belém, onde nesta quinta-feira está sendo inaugurado o prédio que abrigará o Laboratório para Monitoramento Global das Florestas Tropicais por Satélites. O CRA/INPE também
terá uma Estação de Recepção de Dados de Satélites, em Boa Vista, e um Núcleo de Monitoramento Ambiental do INPE, em Manaus.

O CRA também irá apoiar atividades de campo e de mapeamento realizadas pelo INPE na região amazônica, mantendo infraestrutura de coleta e processamento de dados em suas instalações. Ao aprimorar o conhecimento em geotecnologias na Amazônia, esta nova unidade do INPE deverá se tornar um centro internacional de difusão de tecnologia de monitoramento por satélite de florestas tropicais.

 *COM INFORMAÇÕES DO INPE